segunda-feira, setembro 20, 2004

Na mão,

o pequeno retalho de papel quadriculado, dobrado sem desvelo, trazia escrito o nome de uma rua

3 Comments:

Blogger Gonçalo Pinto said...

O meu mapa, neste momento, está como este...ilegivel!

10:14 da tarde  
Blogger V. said...

Gonçalo,
Já estou a encher-lhe as medidas. ;P

10:20 da tarde  
Blogger Gonçalo Pinto said...

Sem ela não há vida, sem ela tudo é triste e cinzento. É nela que cada um de nós se refugia ao passar pela conquista de um espaço que pretendemos nosso...o da felicidade!

11:26 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home