sexta-feira, fevereiro 25, 2005

A Lógica do (Não) Casamento

- Tu que tens sempre o portátil ligado à corrente, devias tirar-lhe a bateria, sob pena de danificá-la.
- Mas se, como dizes, o tenho sempre ligado à corrente, então não é importante que a bateria funcione.
- Mas um dia podes querer andar com ele por aí, sem o teres ligado...
- E se tiver a certeza de que isso nunca sucederá?
- Essas certezas são tuas. Mas eu, no teu lugar, manteria todas as hipóteses em aberto...

6 Comments:

Blogger ana said...

a minha bateria já era!

1:57 da tarde  
Blogger Luis Gaspar said...

Se calhar devia pensar em deixar de o ligar a corrente - tipo, era um passo no caminho de SER PARA SEMPRE. Ahah. Digo eu.

2:00 da tarde  
Blogger V. said...

E dizeres tu tem uma especial ironia. Ahah. Digo eu.

2:16 da tarde  
Blogger Luis Gaspar said...

Duvido que o meu portatil (quis evitar esta expressao no primeiro comentario, sou so eu ou isto tem uma expressao demasiado sexual?)tenha modo de hibernacao. Mas, se tiver, vou mandar o gato roer o fio. Se a cidade ficar sem luz e culpa dos professores de micro nao terem especificado um efeito substituicao menos pernicioso para a energia de corrente e de pilha.

2:25 da tarde  
Blogger ana said...

Gato? Qual gato?

11:38 da tarde  
Blogger Luis Gaspar said...

Um qualquer, abóbora! Assim como assim sou alérgico. Mas prefiro os pretos com manchas pequenas brancas na barriga. A seguir vêm os cinzentos. Detesto gatos amarelos.

8:02 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home